Tese de Ficção Científica na Academia

O Edgar Indalecio Smaniotto foi aprovado no Doutorado em Ciências Sociais na UNESP de Marília, com projeto de pesquisa relacionado a ficção científica brasileira.

Título: *EUGENIA E LITERATURA NO BRASIL: apropriação da ciência e do pensamento social dos eugenistas pelos escritores brasileiros de ficção científica (1922 a 1949)*

Ele comentou:

“Espero fazer uma pesquisa de fôlego, recorrendo a arquivos e etc, a fim de responder algumas questões: O que levou esses literatos a apoiar e divulgar práticas científicas e sociais que mais tarde pareceriam não apenas cientificamente insustentáveis, mas também imorais? Como essa apropriação ocorreu? Qual foi o nível de difusão social que essas obras tiveram em seu tempo? E em nossos dias? E, principalmente, como entender esse momento histórico preciso? Suas práticas sociais e científicas podem ser úteis para entendermos a realidade atual (início do século XXI)? Pode a genética, que se tornou um movimento científico e social tão importante quanto a eugenia foi no começo do século XX, acabar por tomar rumos parecidos? E etc.”

“Na pré-pesquisa verifiquei que o “Papa” da Eugenia Brasileira, Renato Kehl, mantinha correspondência com Monteiro Lobato antes, durante e depois da confecção do livro “O Presidente Negro ou O Choque das Raças” (1922), e a futura análise destas com certeza vai esclarecer em muito as relações de Lobato com o movimento eugênico.”

Bom espero daqui a três anos conseguir terminar esta pesquisa oferecendo uma contribuição importante para a FC Brasileira. Minha orientação será feita pela antropóloga *Dr.ª Christina de Rezende Rubim.”  
   

Edgar Indalecio Smaniotto é Mestre em Ciências Sociais, pela UNESP e autor do livro: A Fantástica Viagem Imaginária de Augusto Emílio Zaluar” (Editora Corifeu), um ensaio sobre a representação do outro na antropologia e na ficção científica brasileira.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: