DC ANUNCIA NEIL GAIMAN NO BATMAN

quinta-feira | 31 | julho | 2008


A DC Comics chegou na San Diego Comic Con deste ano carregada de novidades. Em quatro dias, foram anunciadas novidades para personagens de todo o universo da editora. Os destaques ficam para o retorno (ou melhor dizendo, retorno ao papel de protagonista) de Barry Allen em The Flash: Rebirth, o anúncio de Neil Gaiman como roteirista de um arco de histórias de Batman e as aquisições do universo Milestone e dos heróis da Archie, que agora integrarão o Universo DC.

Estavam presentes nos painéis o editor-chefe Dan Didio, o VP de vendas Bob Wayne, os editors Ian Sattler, Mike Carlin, Eddie Berganza, Mike Marts e Jann Jones, além dos criadores Judd Winick, Keith Giffen, Geoff Johns, Ethan Van Sciver, James Robinson, Greg Rucka, Ian Sattler, Peter Tomasi, Bill Willingham, Kevin Smith, Brad Meltzer, Philip Tan, Grant Morrison, J.G. Jones, Alex Sinclair, Gail Simone, Mike Grell, Dwayne McDuffie, Brian Azarello e Dustin Nguyen.

Além de novidades sobre o novo arco de Superman, New Krypton (que você confere aqui), o painel DC Nation no primeiro dia de Comic Con falou da Crise Final e de alguns personagens da editora. O editor-chefe abriu e fechou a convenção dando destaque ao Batman.

Didio abriu o painel dizendo que Batman R.I.P acaba em novembro, mesmo mês em que o cineasta e quadrinhista Kevin Smith fará uma minissérie em três partes com o personagem, que reintroduzirá o vilão Onomatopéia no UDC.

Conhecido nos seus quadrinhos por sua passagem em Demolidor e pela ressurreição do Arqueiro Verde, Kevin Smith também é lembrado por dar cano na Marvel Comics por anos. Levou quatro anos para terminar uma minissérie da Gata Negra com o Homem-Aranha. Em 2004 também lançou a minissérie Bulseye: Target, mas até hoje apenas uma edição viu a luz do dia.

Após ser introduzido, Smith brincou: “vai demorar uns três anos pra ficar pronta”. Depois, contou que os roteiros de duas edições já estão terminados. “A terceira ficará pronta quando minha filha fizer 16 anos”, brincou novamente. Batman: Cacophony terá Walt Flanagan na arte.

Os fãs questionaram a baixa qualidade de Countdown to Infinite Crisis, e os editores se defenderam afirmando que daqui para frente todos os personagens terão histórias como as que vêm sendo desenvolvidas em Lanterna Verde, a exemplo da já anunciada nova fase do Homem de Aço, que já vem engatinhando com os arcos de Atlas e Brainiac nas revistas Superman e Action Comics.

O editor-chefe sinalizou a volta dos Elseworlds, histórias passadas em outras Terras do Multiverso (antigamente, quando o Multiverso ainda não tinha voltado a existir, as séries mostravam outras origens e cronologias dos personagens da editora, a exemplo dos O Que Aconteceria Se…, da Marvel).

Didio também revelou que Judd Winick sairá dos roteiros de Green Arrow/Black Canary, e que seu substituto será Andrew Kreisberg, escritor da série de TV Eli Stone. O editor também confirmou que Paul Dini escreverá uma série mensal da maga Zatanna, como há muito tempo já se especulava.

Geoff Johns confirmou que fica em Lanterna Verde mesmo após o fim de Blackest Night, em 2009, e que as Indigo Lanterns, a Tropa das Safiras Estrela, será vista entre abril ou maio do ano que vem.

Keith Giffen levantou discretamente a possibilidade de Paul Levitz e ele voltarem a trabalhar em Legião dos Super-Heróis, mas disse que “estava só pensando”, quando a platéia reagiu com felicidade à pergunta.

No sábado foi a vez dos painéis Crisis Management e A Guide to Your Universe, um centrado em Final Crisis e outro nos personagens da editora. Dan Didio iniciou o painel deixando dois fãs lerem fotocópias de Final Crisis #3.

Greg Rucka explicou que o especial Final Crisis: Resist, que roteiriza, com artes de Ryan Sook, mostrará os heróis, perdedores da guerra contra o mal, tentando sobreviver. “Imagine que você mora na França ocupada durante a Segunda Guerra Mundial. Agora imagine que a França é este planeta e que os nazistas são os Novos Deuses”, explicou.

Em seguida, Brad Meltzer disse que Final Crisis: Last Will and Testament vai mostrar a última noite dos heróis na Terra, e que “Grant vai explodir com tudo”. Geoff Johns disse que George Peréz desenhou cada personagem que já foi da Legião dos Super-Heróis em Final Crisis: Legion of Three Worlds.

Morrison explicou que “uma vez que a Nova Terra entra em colapso, todo Multiverso acompanha”. Dan Didio disse que os fantasmas de Ralph e Sue Dibny podem aparecer nas histórias de Batman pós-R.I.P.

Já em A Guide to Your Universe, Didio explicou que os heróis da Archie serão introduzidos na DC Comics em Brave and Bold. J. M. Stracynzski revelou que dois heróis serão inseridos por edição. O editor ainda disse que Static, do Universo Milestone, estará na nova formação dos Novos Titãs.

Mike Grell, conhecido por sua passagem por Arqueiro Verde, disse que está preparando o retorno do Guerreiro, uma de suas criações para a editora. Uma minissérie do personagem foi lançada há alguns anos, feita por Bruce Jones.

Grant Morrison disse que após o fim de Batman R.I.P., o Homem-Morcego terá sua “última história” contada em uma HQ em duas partes, Batman: Battle for the Cowl, que ainda terá como personagens principais Asa Noturna, Jason Todd, Silêncio, Robin e Mulher-Gato. Morrison ainda contou que Jason Todd vai ganhar uma grande série após o arco.

Gail Simone disse que trará as verdadeiras amazonas de volta em Mulher-Maravilha.

Neste painel, Brad Meltzer contou que em Final Crisis: Last Will and Testament, Geoforça vai atrás do Exterminador para vingar a morte de sua irmã, Terra. Já Geoff Johns disse que a morte do Caçador de Marte aconteceu porque “Geoff Johns precisava de um Lanterna Negro”.

O último dia de convenção marcou mais um painel DC Nation, para falar sobre a editora como um todo. O destaque do dia ficou para o anúncio de Neil Gaiman e Andy Kubert como equipe criativa do mês de janeiro das HQs do Batman.

O painel começou com Geoff Johns dando mais uma dica sobre o retorno de Bart Allen em Final Crisis: Legion of Three Worlds, mas sem confirmar a volta do personagem. Já Dan Didio disse que Ronald Raymond, antigo Nuclear, será outro dos Lanternas Negros.

Sem muitas novidades, Didio manteve o painel apenas com perguntas dos fãs, até em seu final anunciar que Denny O’Neil cuidará de um especial que mostrará Gotham após o fim de R.I.P., e exibir um vídeo com um caixão com um morcego dizendo “Whatever Happened to the Cape Crusader? Neil Gaiman, Andy Kubert – 2009”.

A DC Comics é atualmente uma das maiores editoras de quadrinhos nos EUA, conhecida por ser a casa de famosos super-heróis como Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde, Flash, Homem-Borracha, entre outros. Junto com sua linha adulta, Vertigo, e a linha Wildstorm, oferece diversidade para todas as idades. A DC produz mais de oitenta títulos por mês e cerca de mil por ano. Também é uma das mais antigas empresas do ramo, com setenta anos de publicação contínua.
>> HQ MANIACS – por Por Artur Tavares

Anúncios

OUÇA O LIVRO

quinta-feira | 31 | julho | 2008

Editoras investem na fórmula do audiolivro e criam tendência de mercado


Capitu traiu ou não traiu Bentinho? Só quem ler (ou ouvir) Dom Casmurro, de Machado de Assis, poderá dar palpite. Isso mesmo: ouvir. A história de um dos casais mais famosos da literatura brasileira já virou audiolivro, assim como os enredos de alguns dos mais procurados livros nacionais e estrangeiros. Esse segmento representa 10% das vendas nos EUA e no Brasil ainda costuma ser associado à Bíblia lida por Cid Moreira. Mas, ao que parece, por pouco tempo. A Ediouro investiu mais de R$ 1 milhão na criação do Plugme, selo pelo qual serão lançadas versões em áudio de best sellers de seu catálogo e também de outras editoras. De A vida como ela é, de Nelson Rodrigues, a Alô, chics!, de Gloria Kalil, 17 títulos foram narrados por atores famosos, como Paulo Betti, José Wilker e Milton Gonçalves, ou pelos próprios autores. Trata-se apenas da primeira leva, que em agosto estará disponível em CD ou em arquivos para download.

10% é a fatia ocupada pelos audiolivros nos EUA. No Brasil, o formato já fazia sucesso com a edição da Bíblia

A Audiolivro é outra editora que aposta nos mais vendidos, como O caçador de pipas, de Khaled Hosseini. Os selos menores disputam esse promissor mercado com obras de domínio público e, no momento, não existe autor mais em alta que Machado de Assis. Dom Casmurro, por exemplo, ilustra as vantagens da nova mídia: no formato tradicional, o romance tem 300 páginas, mas pode ser ouvido em apenas seis horas. “Quem consegue ler quatro livros por mês? Mas é fácil ouvir um audiolivro por semana, só com o tempo que se perde no trânsito”, diz Patrick Osinski, diretor do Plugme. Tanta facilidade seria um desestímulo à leitura? Os editores garantem que não. “Ao ouvir uma história e gostar dela, o ouvinte vai querer conhecer mais. E há coisas que você só alcança lendo o livro”, diz Sandra Silvério, dona da Livro Falante. O escritor Luis Fernando Verissimo concorda: “A literatura começou via oral, com histórias contadas e não escritas. O audiolivro inclui cegos, idosos e analfabetos. Sou a favor.” Suas crônicas reunidas em As mentiras que os homens contam serão lançadas em áudio pelo Plugme, na voz do ator Bruno Mazzeo.

Os textos normalmente são lidos na íntegra. No caso de Memórias póstumas de Brás Cubas (Livro Falante), também de Machado de Assis, o repórter do programa Custe o que custar, Rafael Cortez, recorre ao seu violão para interpretar dois capítulos do livro que só trazem sinais de pontuação: “Narrar Machado de Assis é sempre muito difícil, mas esse livro em particular foi um desafio maior. Os períodos são longos e há muitas expressões estrangeiras.” Como se trata de um dos romances mais bem escritos da literatura brasileira, meio caminho já está andado.
>> ISTO É – por Adriana Prado


O GAROTO QUE DESARMOU JOHN LENNON

quinta-feira | 31 | julho | 2008


Em 1969, Jerry Levitan, 14 anos, armado com um gravador de rolo, matou aula e foi bater na porta dos quartos do King Edward Hotel, em Toronto — até que uma camareira o abordou e perguntou: “Você está procurando pelo Beatle?”

Então ele achou o quarto onde John Lennon estava hospedado. Lennon deu risada e deixou ele ficar para uma conversa.

Em 2007, o papo virou um show de animação e motion graphics, indicado ao Oscar de melhor curta animado. Você pode assistir ao curta na íntegra logo abaixo:
>> SUPERINTERESSANTE – por André Sirangelo


TRAILER DO NOVO HARRY POTTER MONSTRA LORDE VOLDEMORT CRIANÇA

quinta-feira | 31 | julho | 2008


Foi divulgado o trailer de Harry Potter e o Enigma do Príncipe, sexto filme da série criada pela escritora britânica J. K. Rowling. A maior novidade do vídeo é mostrar Lorde Voldemort, interpretado pelo ator Ralph Fiennes ainda criança, aos 11 anos de idade.

Segundo a Warner Bros., o filme tem estréia prevista no Brasil para o dia 21 de novembro.

No vídeo, que tem um minuto e meio de duração, é possível ver o diretor da escola de bruxaria Hogwarts, Albus Dumbledore, dando a Harry, novamente interpretado pelo ator Daniel Radcliffe, um frasco com as memórias de infância de seu arqui-rival, lorde Voldermort.

Então aparece a mensagem: “Para se saber do futuro, é preciso saber do passado”. Harry é levado para o passado e descobre fatos importantes da infância daquele que se tornaria líder dos bruxos do mal, os chamados “Comensais da Morte”.


PRIMEIRAS FOTOS DE HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE

quinta-feira | 31 | julho | 2008

O blog MTV Movies divulgou as primeiras fotos de Harry Potter e o Enigma do Príncipe, sexto longa da série criada pela escritora J. K. Rowling. O longa estréia prevista para 21 de novembro no Brasil.
>> O GRITO!


EXISTE COINCIDÊNCIA?

quarta-feira | 30 | julho | 2008

À sua direita, o cartaz da série “True Blood”, de Alan Ball para a HBO. À sua esquerda, o cartaz do filme “Jennifer´s Body”, de Karyn Kusama, com roteiro de Diablo Cody, com distribuição da Fox.
Qual dos dois terá sido criado primeiro?
>> TV SÉRIES – por Fernanda Furquim


DOSSIÊ RÊ BORDOSA FATURA O ANIMA MUNDI

quarta-feira | 30 | julho | 2008


O curta-metragem de animação stop-motion de César Cabral, Dossiê Rê Bordosa, baseado na já lendária personagem criada pelo cartunista Angeli, foi o grande vencedor do prêmio de júri popular do Anima Mundi, levando os prêmios de Melhor Animação Brasileira e Melhor Curta-Metragem tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro.

No Rio, faturou ainda o Prêmio Aquisição Canal Brasil.

O filme, exibido também durante a recente a premiação do 20º HQ Mix, já tem um histórico de premiações, tendo vencido em três categorias no Festival Paulínia de Cinema, faturando os prêmios de Melhor Filme Curta-Metragem, Melhor Curta – Júri Popular e o Prêmio da Crítica. Além disso, já está indicado na categoria Curta-Metragem em 35 mm no Festival de Gramado 2008.
>> UNIVERSO HQ – por Guilherme Kroll Domingues