SPECTREMAN: OS PERIGOS DA POLUIÇÃO

Recorde as aventuras do herói que há mais de 30 anos já alertava sobre os perigos da poluição

“Planeta: Terra. Cidade: Tóquio. Como todas grandes metrópoles do planeta, Tóquio se acha hoje em desvantagem em sua luta contra o maior inimigo do homem: a poluição. E apesar dos esforços de todo o mundo, pode chegar um dia em que a terra, o ar e as águas venham a se tornar letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir? SPECTREMAN!!!”

050720_spectreman.jpgEra com esta narrativa apocalítica que começavam os episódios de uma das séries mais injustiçadas já exibida no Brasil. Injustiçada porque o seu protagonista, Spectreman, sempre foi tratado apenas como uma cópia de Ultra Seven e, no Japão, concorreu direto com a produção tecnicamente muito superior O Regresso de Ultraman (da Tsuburaya Productions) e com o então inovador Kamen Rider (da Toei Company).

Realizado pela extinta P-Production (a mesma de Lion Man), o seriado tinha a cara do estúdio: efeitos capengas (mesmo para a época) compensados com personagens carismáticos em aventuras com tom épico e dramático.

As aventuras de Spectreman começam com a chegada à Terra do cientista Dr.Gori e seu fiel assistente Karas. Fugitivos de uma galáxia distante, eles são simióides, homens-macacos de uma raça avançada. Gori era um gênio científico e Karas, um militar de muita força e pouca inteligência. Ambos foram expuragos de seu planeta natal depois de tentarem usar seus avanços tecnológicos para o mal.050720_spectreman_02.jpg

Na Terra, o Dr.Gori viu a humanidade desperdiçando recursos naturais e destruindo seu eco sistema com a poluição. Ele decide usar isso contra os próprios homens, criando monstros a partir da poluição para atacar e forçar a humanidade a se render. Sua intenção era dominar nosso planeta para torná-lo em um seu paraíso particular. Mas para o seu azar do macaco louro, seus planos não passam desapercebidos pela raça dos Dominantes, da Nebula 71, que envia à Terra o andróide de batalha Spectreman.
Chegando ao Japão – país escolhido por Gori para ser seu primeiro alvo -, Spectreman se disfarça no humano Kenji (Johji Gamou, no original) e se une ao Grupo Anti-Poluição, uma entidade que pesquisava eventos perigosos e bizarros ligados à degradação do meio ambiente. Desde então, sempre que uma nova ameaça surgia, os Dominates ordenavam à Kenji para se transformar em Spectreman. E assim ele fazia.

Agindo secretamente sob seu disfarce humano, o herói passa a lutar contra os monstros de Gori e uma infinidade de vilões, como o sinistro vampiro Vordalak ou o Alien Genos, que organiza a sangrenta Operação Genocídio – uma das aventuras mais fortes da série.

Conforme o tempo vai passando, o Grupo Anti-Poluição vai assumindo papel mais ativo na luta contra o Dr.Gori, indo além das investigações e passando a participar das batalhas também. Mudando o nome para Grupo Anti-Monstros, eles passam a usar armas de raios, bazucas, explosivos e uma variedade de artefatos para ajudar Spectreman nas lutas.

050720_spectreman_03.jpgCapaz de ficar gigante, de disparar o letal Spectro Raio, de lançar shurikens (estrelas) cortantes, de acionar lâminas embutidas em seus antebraços, de voar a grandes velocidades e dotado de força descomunal, Spectreman era quase imbatível. A sua arma mortal era o raio Spectro Flash, um fulminante raio luminoso emitido de seus dedos. Para dispará-lo, o herói fazia uma verdadeira coreografia: ele agitava os braços para concentrar energia e disparar o Spectro Flash em apenas 2,5 segundos.

Visto que todos seus planos foram frustrados pelo herói, o Dr.Gori parte para o tudo ou nada. O maligno cientista usa a mente de um jovem boxeador para criar um monstro com reflexos superiores aos de Spectreman, mas este falha. Como último recurso, Karas parte para lutar pelo seu mestre e é morto também. Desolado, Gori comete suicídio, se atirando de um penhasco com uma bomba. Spectreman, com sua energia exaurida, fica impossibilitado de voltar a ser Kenji e parte para sua Nebula natal quase morto. Foi um dos finais mais dramáticos já visto em uma série japonesa.

As histórias de bastidores de Specxtreman são das mais curiosas. Depois de quase ser batizado de Chojin Element-Man (Super-Humano Homem-Elemento) e de quase ter o ator Jiro Dan (o Hideki Goh de O Regresso de Ultraman) como astro, o episódio piloto de Spectreman foi filmado em 1970. Não agradou, e tanto o ator quanto o nome e o uniforme foram trocados. A opção de usar o nome do vilão como título da série (Uchu Enjin Gori, ou Homem-Macaco Espacial Gori) foi abandonada ao longo dos episódios até se chegar a Spectroman (que é o nome original do herói. Spectreman é o nome dado ao herói nos Estados Unidos e, consequentemente, no Brasil).

A escolha final do ator recaiu sobre o karateca Tetsuo Narikawa. Nascido em 15 de abril de 1944, ele seguiu carreira atuando e como instrutor de karatê renomado internacionalmente. Ainda nos anos 70, atuou em um episódio de Ultraman Leo (1974) como o vilão Alien Atlanta. Mas foi Spectreman que lhe deu grande projeção e pelo qual é lembrado até hoje.

Spectreman estava longe de primar por sua produção. Os efeitos especiais eram os mais piores possíveis: os cenários pareciam de papelão da pior qualidade e dava para se notar nitamente onde ficava a cabeça, os braços e mãos dos dublês que faziam os monstros. A P.Productions até chegou a ousar nos primeiros episódios usando Stop-Motion – técnica de animação de bonecos filmados quadro a quadro – nas lutas do herói contra algumas das criaturas do Dr.Gori. O resultado ficou abaixo da crítica e então se optou pelas velhas e boas fantasias de látex e cenários de isopor.

Apesar de efeitos e direção pobres, as histórias tinham humor, dramaticidade e situações criativas. Spectreman tinha, acima de tudo, um lado humano muito bem explorado. E foi por isso que ele garantiu seu lugar como um dos heróis mais importantes já criados no Japão.

O superandróide chegou ainda a ganhar aventuras nos quadrinhos. O mangá original de Spectreman desenhado por Souji Ushio (que usou o pseudônimo Daiji Kazumine) teve nove volumes encadernados.

No Brasil, a série chegou no final dos anos 70 na TV Record. Curioso é que a emissora exibia Spectreman alternadamente com Ultra Seven. A impressão que se tinha era de que a Record tentava criar uma ligação entre os dois – ou que fossem o mesmo personagem ou continuações, assim como o SBT faria pouco tempo depois com Ultraman e O Regresso de Ultraman.

Nos anos 80, Spectreman, já sendo exibido pelo SBT, se tornou uma das principais atrações do extinto programa do Bozo. Por volta de 1986, o herói atingiu o auge de seu sucesso – o que lhe garantiu ficar no ar um pouco mais de tempo do que o trio de Ultras.

O sucesso da série levou a Bloch Editores a lançar uma revista em quadrinhos desenhada pelo brasileiro Eduardo Vetillo. Nessa versão, o herói se chamava Kenzo (e não Kenji) e o Spectreman era azul, entre outras mancadas que dava todo o ar de pirata à revista.

Curiosamente dos 63 episódios produzidos – a grande maioria duplos – pouco mais de 50 foram exibidos na passagem de Spectreman na televisão brasileira. No entanto isso não impediu que ele se tornasse um dos heróis mais queridos e de maior sucesso que já passaram por aqui.
>> HENSHIN

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: