‘STARGATE UNIVERSE’: POSTER E NOVO SPOT

sexta-feira | 31 | julho | 2009

Stargate UniverseA
O SciFi Channel divulgou novos pôsteres de Stargate Universe, nova série de ficção científica passada no universo Stargate, que no ano passado viu o seriado Atlantis cancelado por baixas audiências. Clique aqui para conferir a galeria de imagens.

Aproveite para conferir um novo spot de TV de apresentação da série disponibilizado pelo site MovieWeb clicando aqui.

A franquia Stargate teve início com um filme homônimo para os cinemas em 1994. No filme, um portal estelar é descoberto em escavações no Egito, Com a descoberta deste Stargate, vem também a revelação de que os deuses egípcios eram na verdade alienígenas.

Em 1997 estreou a série Stargate SG-1, retomando a aventura após os acontecimentos do filme, agora mostrando a principal de várias equipes que exploram diversos planetas através do Stargate. Conquistando vários amigos e ainda mais inimigos, a equipe logo descobre que a Terra ainda é ameaçada por diversas raças alienígenas e que não só os deuses egípcios têm origens extraterrestres.

A série foi um grande sucesso, tendo durado 10 temporadas, além do spin-off Stargate Atlantis, que estreou em 2004 e durou cinco temporadas. A trama de Stargate SG-1 foi concluída em dois filmes lançados diretamente em DVD. Agora em 2009 chega a vez de uma terceira série, Stargate Universe.

Stargate Universe segue um grupo de soldados, cientistas e civis que têm que se virar por conta própria ao serem forçados a passar por um Stargate quando sua base secreta é descoberta. Os sobreviventes, apavorados, aparecem em uma velha nave, que está com um curso desconhecido programado e é incapaz de voltar para a Terra.

Confrontados com problemas básicos como falta de água, comida e ar, o grupo tem que descobrir os segredos do Stargate da nave para sobreviver. As provações que enfrentarão à bordo vão revelar quem são os verdadeiros heróis e vilões do grupo. No elenco estão Robert Carlyle e Lou Diamond Phillips, entre outros. O site da franquia, em inglês, pode ser conferido clicando aqui.
>> HQ MANIACS – por Carlos Costa

Anúncios

‘PRINCE OF PERSIA’: VEJA NOVAS IMAGENS

quarta-feira | 29 | julho | 2009

Principe da PersiaA
O site Empire Online divulgou novas imagens de Prince of Persia: The Sands of Time (Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo), adaptação cinematográfica do famoso jogo clássico. As novas fotos trazem o príncipe Dastan e a princesa Tamina, além de cliques do set de filmagens. Clique aqui para conferir a galeria completa de imagens.

A produção da Disney conta com os atores Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Alfred Molina, Ben Kingsley e Toby Kebbell.

Gyllenhaal interpreta o príncipe Dastan, que precisa se aliar com a princesa Tamina para impedir que um vilão tome posse das Areias do Tempo, um artefato que permite a manipulação do tempo e o dominio do mundo.

A direção é de Mike Newell e a estreia está prevista para 28 de maio de 2010 nos EUA e 4 de junho de 2010 no Brasil.
>> HQ MANIACS – por Carlos Costa

Principe da Persia2a


CULTURA STEAMPUNK: UMA GALERA QUE VEM GANHANDO FORÇA NA INTERNET E EM OUTROS ESPAÇOS DA MÍDIA

quarta-feira | 29 | julho | 2009

Steampunk_conselho

Estilo vintage, máquinas do final do século XIX
ou retrofuturismo são apenas algumas das suas características

O movimento Steampunk nasceu nos Estados Unidos, no final dos anos 80, como uma vertente do movimento cyberpunk (que se relaciona à internet). Segundo Bruno Accioly, co-fundador do Conselho Steampunk, uma vez que o CyberPunk era um sub-gênero da ficção científica, que se ambientava em uma sociedade de alta tecnologia, o SteamPunk se ambienta em uma realidade marcada pelo uso do Vapor (Steam), e isso fez com que muitos escritores batizassem suas obras com esse nome e as incluíssem nesse gênero.

Emerson Bohrer, atual Presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk conta que Bruce Sterling iniciou o movimento Cyberpunk, liderando a ideologia, graças a seu fanzine “Verdade Barata”. Em seguida autores como William Gibson, John Shirley, Rudy Rucker, Michael Swanwick, Pat Cadigan, Lewis Shiner, Richard Kadrey F. também foram “credenciados” como Cyberpunk. Quando perguntado sobre o que é ser steampunk,William Wexford, conhecido na internet como “o poeta inexistente”disse: “O steampunk não é uma tribo, não é como ser punk ou gótico. Ele está muito mais voltado à apreciação de uma cultura e estilo próprio, não com uma ideologia social. Ser Steampunk é apreciar essa cultura”, conclui.

Em outras palavras, segundo Emerson Bohrer, Steampunk é ser um amante dos bons costumes, se libertar das linhas de montagens dos produtos de massa. É trazer tudo da literatura, costumes e das grandes descobertas e invenções do século XIX a um futuro que não tem mais identidade. É gostar de objetos com aspecto de antigos, mas com tecnologias modernas. É resgatar todo o romantismo e etiqueta do passado e injetá-lo ao estéril século XXI, onde se tem tecnologia e às vezes sem nenhuma identidade.
Steampunk_zepelin

Ídolos
São inúmeros os ídolos que inspiram os seguidores dessa nova cultura. Cada “steampunk” tem um ícone da tecnologia, da literatura ou da Era Vitoriana como referência. O presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk acredita que “os mais cultuados entre os iniciantes são Julio Verne e, nas ciências, quase todos os inventores em especial Nicola Tesla e Thomas Edson”.

“Por conta de o sub-gênero SteamPunk ser atribuído até mesmo a autores que já existiam antes do termo ter sido cunhado, como Julio Verne e H.G.Wells, muitos dos autores adorados não são contemporâneos e boa parte da literatura Vitoriana, de alguma forma, nos inspira interesse. A maior parte dos ídolos dos Steamers (outro nome para os steampunks) são autores, mas há uma tendência clara para a adoração da obra, acima do autor, a meu ver. É o caso de livros como “20 mil Léguas Submarinas”, “A Máquina do Tempo”, “Bússola Dourada”; filmes como “Liga Extraordinária”, “SteamBoy”, “Van Helsing” e “A Cidade das Crianças Perdidas”; quadrinhos como “Girl Genious”, “Steam Detectives” e “Iron West”; e até mesmo bandas, como é o caso de Abney Park. Isso dá um caráter importante a cultura, uma vez que a enraíza no imaginário do entusiasta através não só do entretenimento, mas do despertar da curiosidade a respeito da história”, salienta Bruno Accioly.

É importante explicar que a adoração ao escritor Julio Verne vêm do tema de suas histórias. Isso ocorreu porque ele, tecnicamente, é considerado pelos seguidores dessa cultura um visionário, que em seus contos descreveu máquinas fantásticas, construiu em seus sonhos personagens e aparatos tecnológicos que segue bem o estilo Steampunk, ou seja, construiu coisas do futuro com a tecnologia do século XIX.

Moda Steampunk
Bruno Accioly, co-fundador do conselho steampunk, afirma que “essencialmente a moda desse grupo passa pela época vitoriana, jaquetões, chapéus, cartolas, coletes, gravatas com nós elaborados, trajes formais, corpetes, blusas de tecidos rústicos ou até bastante sofisticados e com um cuidado barroco em sua confecção. O SteamPunk é mais que um retorno à Era Vitoriana. Trata-se de um retorno à uma época que jamais aconteceu. Como se, no Século XIX, o Homem tivesse conseguido alçar voos muito maiores somente com o uso do vapor e da eletricidade. Por conta disso, muitos dos acessórios são profundamente excêntricos e se pode ver pessoas equipadas com desconcertantes armas de raios, bengalas a vapor, cartolas ornadas com bobinas elétricas e muitos outros objetos deslocados no tempo, quase todos em couro, latão e bronze”, conclui.

Música
A música steampunk tem um aspecto bem peculiar, que assim como o movimento ainda está em permanente mutação e refinamento para distinguir-se de outros estilos. “Basicamente é uma mistura de Industrial, Techno, Gótico, Música Oriental, Modinhas Vitorianas. E claro… Rock”, assegura Emerson, Presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk. William Waxford, o poeta inexistente, cita como referências as bandas: Abney Park e Clockwork Quartet, além de outros.
>> O ESTADO DO RIO DE JANEIRO – por Maria Clara


‘MEU MESTRE SOBRENATURAL’ CELEBRA A CULTURA GÓTICA

quarta-feira | 29 | julho | 2009

Meu Mestre Sobrenatural_capaA
Meu Mestre de História Sobrenatural, de Luiz Roberto Guedes (Editora Nankin) é uma novela composta por uma série de histórias dos gêneros fantástico, horror sobrenatural e ficção científica. Gêneros que se tornam mais interessantes “quando encontram o trilho da tradição literária”, como assinalou o crítico Bruno Zeni, no Guia da Folha de São Paulo (29/02/2009).

Como exemplo dessa conexão com os mundos da literatura, os escritores Machado de Assis e Antoine de Saint-Exupéry fazem “aparições” especiais nessas histórias assombrosas.

O mestre do título é o livreiro Alpheu, dono do sebo Bazar Bizarro, que gosta de contar histórias fantásticas para uma turma de jovens. Esse “clubinho do Tio Bizarro” é a origem de uma futura Sociedade da Sombra, uma tribo de jovens góticos que costuma se reunir num cemitério, à meia-noite, para cultuar a memória de seu mestre em iniciação literária.

Com ilustrações de Rubens Matuck, Meu Mestre de História Sobrenatural é uma leitura fascinante, para jovens ou aficionados do gênero fantástico. Para saber mais: http://www.nankin.com.br


A METRÓPLE DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

sexta-feira | 24 | julho | 2009

HQ_museu_fachada
Pouco mais de duas semanas após a abertura do Museu Hergé, na Bélgica, é a vez da França tomar a palavra, com a abertura da Cité Internationale de la Bande Dessinée et de l’Image (Cidade Internacional da História em Quadrinhos e da Imagem), dia 20 de junho, em Angoulême, no sudoeste da França. Angoulême que já sedia o mais importante festival cultural das HQs do mundo, agora definitivamente sobe ao pódio como centro internacional dos quadrinhos com a abertura desta cidade que engloba um museu, uma biblioteca patrimonial (associada à Biblioteca Nacional da França e para onde serão encaminhados todos os exemplares de depósito legal), uma biblioteca pública, uma residência para autores, uma livraria com cerca de 40.000 títulos de HQ, um centro multimídia, duas salas dedicadas ao cinema de arte e experimental, espaço de consulta a Internet e um restaurante.

Unindo-se aos edifícios já existentes – o antigo CNBDI, sede das exposições mais importantes e dos encontros com autores feitos durante os eventos realizados até o início deste ano; e a Maison des Auteurs, que abriga autores para que possam desenvolver seu trabalho em temporadas como artistas residentes – um antigo entreposto de vinhos foi totalmente reformado para acolher a Cité, e é ligado aos outros edifícios por uma passarela sobre o rio Charente que serpenteia pela cidade.

Como a maior parte do acervo do museu é composto pelos 8.000 originais em papel, estes precisam estar em constante rodízio, para que não sejam afetados pela exposição à luz. A cada quatro meses uma nova seleção de pranchas será mostrada ao público, para depois ficarem guardadas por três anos. Isso significa nove exposições diferentes durante os próximos anos, sem contar as novas aquisições.

O museu está dividido em quatro seções:
História da HQ – Com obras desde Rodolph Töpffer, da primeira metade do século XIX, até as atuais. Com ênfase na produção franco-belga, mas destacando também os comics norte-americanos, a HQ underground e a invasão dos mangás.

Técnicas de Criação – Roteiro, esboços, pesquisa de personagens, desenhos a lápis, finalização com tinta nanquim, colorização e criação direta no computador; com as particularidades de cada autor e cada época.

Estética dos Quadrinhos – Os mestres, as influências e as tendências em pranchas originais. Aqui será exposto o melhor do acervo do museu.

Exposições Temáticas – Dedicadas aos autores atuais, movimentos e escolas da França e do Mundo.

Todo este acervo estará enriquecido com audiovisuais, entrevistas com autores e filmes de animação.

Apesar da distância, os brasileiros também poderão usufruir um pouquinho do museu sem precisar ir até a França. O site da Cité é bastante extenso e complexo (basta abrir a página do Mapa do Site para comprovar) e estará sempre apresentando novidades. O site http://www.citebd.org apresenta um layout bastante tradicional e é claro que exige um certo conhecimento de francês.

Mas vale o esforço de explorar e descobrir, por exemplo, a Prancha da Semana: uma página que podemos examinar detalhadamente com o zoom e que será atualizada periodicamente. Ou ainda as Aventuras do Monsieur Talbot, que em páginas desenhadas por nomes como Lewis Trondheim ou François Ayroles, mostra com humor o dia de trabalho de um arquivista do Museu de HQ.

HQ_museu

Além disso, é possível se inscrever para receber a Newsletter que, como o site, traz uma extensa lista de informações sobre o mundo dos quadrinhos.

Também está prometido para breve a abertura livraria virtual do museu. Com certeza esta será uma das maiores livrarias da Internet dedicada aos quadrinhos, permitindo a todos com um cartão de crédito internacional e coragem para fazer compras em Euro o acesso a obras de referência, novidades e clássicos dos quadrinhos de todo o mundo e também uma seleção de DVDs de filmes de animação.

Boa visita a todos à nova capital mundial das HQs.
>> TERRA MAGAZINE – por Claudio Martini


‘ALÉM DA IMAGINAÇÃO’ (TWILIGHT ZONE) JÁ TEM ROTEIRISTA PARA LEVAR A SÉRIE AO CINEMA

quarta-feira | 22 | julho | 2009

Alem da Imaginacao_di caprio
A Appian Way, produtora do ator Leonardo DiCaprio, e a Warner Bros., estão dando continuidade ao projeto de levar para o cinema uma adaptação da série de TV Além da Imaginação.

O escritor Rand Ravich, produtor executivo de Confissões de Uma Mente Perigosa (primeiro filme dirigido por George Clooney), foi contratado para escrever o roteiro. Além de escrever, Ravish foi o diretor do filme O Enigma do Espaço e é o criador da série de TV Life.

Além da Imaginação é um dos seriados mais famosos do mundo. Criado por Rod Serling, estreou em 1959, indo ao ar até 1964. Uma nova versão foi criada em 1985, durando até 1989. Uma terceira versão estreou em 2002, tendo vida curta, sendo cancelada já em 2003. Cada episódio apresentava uma história de ficção independente, muitas vezes escritas por grandes autores de livros, TV ou cinema.
>> HQ MANIACS – por Leandro Damasceno


‘STAR WARS: A GUERRA DOS CONES’ LANÇADO EM DVD e BLU-RAY

quarta-feira | 22 | julho | 2009

Star Wars_CloneWars DVD

A Lucasfilms anunciou que a primeira temporada da animação Star Wars: A Guerra dos Clones será lançada no próximo dia 3 de novembro, em DVD e Blu-ray, pela Warner Home Video nos EUA.

Os 4 discos trarão todos os 22 episódios da primeira temporada da animação, incluindo sete episódios com versões estendidas, e extras em todos os capítulos. Tanto o DVD quanto o Blu-ray trazem um diário de produção, que conta com 64 páginas de material sobre como a animação foi realizada. Uma exclusividade para o Blu-ray é The Jedi Temple Archives, sessão que trará material exclusivo de detalhes da produção.

Star Wars: The Clone Wars The Complete Season One tem preço sugerido de US$ 44.99 para os DVDs e US$ 59.99 para o Blu-ray. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Star Wars: A Guerra dos Clones explora o mesmo período mostrado na série animada anterior, Star Wars: Guerras Clônicas, que no Brasil foi exibida pelo canal a cabo Cartoon Network. Vilões sinistros – liderados por Palpatine, Conde Dooku (Conde Dookan no Brasil) e General Grievus – estão decididos a governar a galáxia. O destino de todo o universo de Star Wars está nas mãos dos Cavaleiros Jedi. A série traz de volta personagens conhecidos, como Anakin Skywalker, Obi-Wan Kenobi e Padmé Amidala, e também novos personagens como a padawan de Anakin, Ahsoka.
>> HQ MANIACS – por Leandro Damasceno