DESCOBERTA DE LIVRO NUNCA PUBLICADO POR C.S. LEWIS

CS Lewis_carta
C.S. Lewis, autor de As Crônicas de Nárnia e Cartas de um demônio a seu aprendiz, e JRR Tolkien, autor de O Hobbit e O Senhor dos Anéis, planejaram escrever um livro juntos sobre a Linguagem, nos anos 1940. De acordo com uma carta escrita por Tolkien, em 1944 a seu filho Christopher, o co-escrito livro era para ser chamado Language and Human Nature (A Linguagem e a Natureza Humana). Um aviso de sua editora anunciou que o livro foi agendado para a publicação em 1950. Foi, no entanto, nunca publicado. Estudiosos estavam pensando, até agora, que a obra nunca foi iniciada.

Steven Beebe, Professor e Coordenador do Departamento Estadual de Estudos sobre Comunicações do Texas, descobriu as páginas abertas do manuscrito inédito na Biblioteca Bodleian da Universidade Oxford e recentemente documentou que o manuscrito foi o início do que anteriormente acreditava-se ser o livro não escrito de Lewis e Tolkien.

Embora CS Lewis tenha começado o livro, não há provas de que Tolkien começou a trabalhar no projecto.

“O que é excitante”, disse Beebe, “é que o manuscrito inclui algumas das melhores e mais precisas declarações de Lewis a natureza da linguagem e do significado. Tanto Lewis quanto Tolkien escreveram separadamente sobre linguagem, comunicação e significado, mas eles nunca publicaram algo em conjunto”.

O artigo que Beebe escreveu documentando sua descoberta, “Manuscrito Encontrado de ‘A Linguagem e a Natureza Humana’: C.S. Lewis sobre Linguagem e Significado“, será publicado no próximo ano no jornal Seven: An Anglo-American Literary Review (Sete: Uma Resenha Literária Anglo-Americana). O jornal Seven publica bolsas de estudo que foca no trabalho dos sete mais proeminentes autores britânicos do século XX, incluindo tanto Lewis quanto Tolkien.

Os trechos do manuscrito foram encontrados por Beebe em um pequeno caderno, no qual Lewis tinha escrito a palavra “Esboços”. Incluídos no esfarrapado caderno, estão fragmentos de ideias inicias de duas Crônicas de Nárnia, O Sobrinho do Mago e A Viagem do Peregrino da Alvorada, juntamente a ideias sobre uma variedade de assuntos não publicados.

Beebe descobriu o fragmento do livro virando o pequeno caderno e lendo da contra-capa para a capa.

“Eu estava tão surpreso ao descobrir que Lewis tinha escrito sobre linguagem e significado, utilizando exemplos e ilustrações nunca encontrados em nenhum de seus trabalhos publicados”, disse Beebe. “Eu sabia que tinha descoberto algo interessante. Mas, na época, eu não sabia que tinha encontrado algo importante”.

Vários anos após a descoberta do manuscrito e de fazer pesquisas adicionais sobre Lewis e Tolkien, Beebe concluiu que o manuscrito era o início do livro perdido.

Na própria e distinta caligrafia de Lewis, a frase de abertura indica claramente que Lewis estava escrevendo um livro sobre a natureza e as origens da linguagem, o tema do projeto do livro de Lewis e Tolkien. Outras provas de que o manuscrito é o início do projeto em co-autoria é o fato de que Lewis escreveu sobre “as nossas declarações” e utilizou a expressão “autores consideram” ao invés de escrever na primeira pessoa do singular como Lewis fez muitas vezes. Devido ao manuscrito recém-descoberto ser protegido, ainda não está disponível para publicação. A permissão deve ser concedida pela C.S. Lewis Pte, e esse processo está em andamento. Quando for publicado, Beebe acredita que o manuscrito irá adicionar novos insights sobre as ideias de Lewis acerca da natureza da linguagem, com uma ênfase especial nos aspectos da linguagem oral, e sobre como significado ocorre quando os seres humanos se comunicam.

Beebe ministra um curso sobre Lewis e comunicação denominado “C. S. Lewis: Crônicas de um Mestre Comunicador”, tanto no campus do estado do Texas em San Marcos quanto em uma classe especial que será ministrada nestes meses de julho e agosto, na Universidade de Oxford. Muitas aulas são ministradas em vários locais em toda a Oxford, incluindo a casa de Lewis, The Kilns; o Magdalen College, a faculdade onde ensinava Lewis, bem como na sala do Eastgate Hotel onde Lewis conheceu sua esposa, Joy Davidman. Sua história de amor foi o tema do filme Shadowlands, em que Anthony Hopkins representou Lewis e Debra Winger retratou Joy.

“Minha meta no ensino do curso em Oxford,” disse Beebe, “é trazer Lewis à vida e fazer os alunos descobrirem a abordagem de Lewis sobre comunicação. Descobrir ideia inéditas de Lewis sobre linguagem e natureza humana acrescenta profundidade à nossa discussão sobre a sua abordagem em comunicação”, disse Beebe.

OBS.: A imagem acima é de trecho de uma das cartas de CS Lewis, não do manuscrito.
>> Texas State University via Aslan’s Country – tradução e adaptação: Polly Plummer (Narnianos.com)

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: