CULTURA STEAMPUNK: UMA GALERA QUE VEM GANHANDO FORÇA NA INTERNET E EM OUTROS ESPAÇOS DA MÍDIA

Steampunk_conselho

Estilo vintage, máquinas do final do século XIX
ou retrofuturismo são apenas algumas das suas características

O movimento Steampunk nasceu nos Estados Unidos, no final dos anos 80, como uma vertente do movimento cyberpunk (que se relaciona à internet). Segundo Bruno Accioly, co-fundador do Conselho Steampunk, uma vez que o CyberPunk era um sub-gênero da ficção científica, que se ambientava em uma sociedade de alta tecnologia, o SteamPunk se ambienta em uma realidade marcada pelo uso do Vapor (Steam), e isso fez com que muitos escritores batizassem suas obras com esse nome e as incluíssem nesse gênero.

Emerson Bohrer, atual Presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk conta que Bruce Sterling iniciou o movimento Cyberpunk, liderando a ideologia, graças a seu fanzine “Verdade Barata”. Em seguida autores como William Gibson, John Shirley, Rudy Rucker, Michael Swanwick, Pat Cadigan, Lewis Shiner, Richard Kadrey F. também foram “credenciados” como Cyberpunk. Quando perguntado sobre o que é ser steampunk,William Wexford, conhecido na internet como “o poeta inexistente”disse: “O steampunk não é uma tribo, não é como ser punk ou gótico. Ele está muito mais voltado à apreciação de uma cultura e estilo próprio, não com uma ideologia social. Ser Steampunk é apreciar essa cultura”, conclui.

Em outras palavras, segundo Emerson Bohrer, Steampunk é ser um amante dos bons costumes, se libertar das linhas de montagens dos produtos de massa. É trazer tudo da literatura, costumes e das grandes descobertas e invenções do século XIX a um futuro que não tem mais identidade. É gostar de objetos com aspecto de antigos, mas com tecnologias modernas. É resgatar todo o romantismo e etiqueta do passado e injetá-lo ao estéril século XXI, onde se tem tecnologia e às vezes sem nenhuma identidade.
Steampunk_zepelin

Ídolos
São inúmeros os ídolos que inspiram os seguidores dessa nova cultura. Cada “steampunk” tem um ícone da tecnologia, da literatura ou da Era Vitoriana como referência. O presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk acredita que “os mais cultuados entre os iniciantes são Julio Verne e, nas ciências, quase todos os inventores em especial Nicola Tesla e Thomas Edson”.

“Por conta de o sub-gênero SteamPunk ser atribuído até mesmo a autores que já existiam antes do termo ter sido cunhado, como Julio Verne e H.G.Wells, muitos dos autores adorados não são contemporâneos e boa parte da literatura Vitoriana, de alguma forma, nos inspira interesse. A maior parte dos ídolos dos Steamers (outro nome para os steampunks) são autores, mas há uma tendência clara para a adoração da obra, acima do autor, a meu ver. É o caso de livros como “20 mil Léguas Submarinas”, “A Máquina do Tempo”, “Bússola Dourada”; filmes como “Liga Extraordinária”, “SteamBoy”, “Van Helsing” e “A Cidade das Crianças Perdidas”; quadrinhos como “Girl Genious”, “Steam Detectives” e “Iron West”; e até mesmo bandas, como é o caso de Abney Park. Isso dá um caráter importante a cultura, uma vez que a enraíza no imaginário do entusiasta através não só do entretenimento, mas do despertar da curiosidade a respeito da história”, salienta Bruno Accioly.

É importante explicar que a adoração ao escritor Julio Verne vêm do tema de suas histórias. Isso ocorreu porque ele, tecnicamente, é considerado pelos seguidores dessa cultura um visionário, que em seus contos descreveu máquinas fantásticas, construiu em seus sonhos personagens e aparatos tecnológicos que segue bem o estilo Steampunk, ou seja, construiu coisas do futuro com a tecnologia do século XIX.

Moda Steampunk
Bruno Accioly, co-fundador do conselho steampunk, afirma que “essencialmente a moda desse grupo passa pela época vitoriana, jaquetões, chapéus, cartolas, coletes, gravatas com nós elaborados, trajes formais, corpetes, blusas de tecidos rústicos ou até bastante sofisticados e com um cuidado barroco em sua confecção. O SteamPunk é mais que um retorno à Era Vitoriana. Trata-se de um retorno à uma época que jamais aconteceu. Como se, no Século XIX, o Homem tivesse conseguido alçar voos muito maiores somente com o uso do vapor e da eletricidade. Por conta disso, muitos dos acessórios são profundamente excêntricos e se pode ver pessoas equipadas com desconcertantes armas de raios, bengalas a vapor, cartolas ornadas com bobinas elétricas e muitos outros objetos deslocados no tempo, quase todos em couro, latão e bronze”, conclui.

Música
A música steampunk tem um aspecto bem peculiar, que assim como o movimento ainda está em permanente mutação e refinamento para distinguir-se de outros estilos. “Basicamente é uma mistura de Industrial, Techno, Gótico, Música Oriental, Modinhas Vitorianas. E claro… Rock”, assegura Emerson, Presidente da Sociedade Brasileira de Steampunk. William Waxford, o poeta inexistente, cita como referências as bandas: Abney Park e Clockwork Quartet, além de outros.
>> O ESTADO DO RIO DE JANEIRO – por Maria Clara

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: