“TEX NO BRASIL – O GRANDE HERÓI DO FAROESTE”: ENTREVISTA COM O AUTOR, G. G. CARSAN

GG in StudioCapa divulgação

Prezado G. G. Carsan, bem-vindo uma vez mais ao blogue português de Tex.
G. G. Carsan: Homenagear Tex para mim tem sido uma constante através das aventuras que já escrevi, inclusive tentei publicar na SBE, mas não consegui; através das exposições que já realizei e participei –  mas a ideia do livro veio das tantas homenagens que a personagem já recebeu na Itália e aqui esse factor vinha passando em branco. Na Itália alcançamos mais de 100 livros e nós temos apenas 2 até o momento, mas acredito que outros livros virão.

Para aqueles que ainda não o conhecem, pode apresentar-se aos nossos leitores?
Sim, claro! Será um prazer passar algumas informações minhas para os texianos portugueses e do mundo, ora alcançados pelo Blogue português do Tex. Eu iniciei cedo com Tex e foi uma paixão crescente. Tornei-me administrador de empresas, tornei-me operário no Japão, tornei-me fotógrafo em São Paulo e João Pessoa, tornei-me webdesign e assessor de comunicação em João Pessoa, e hoje, aos 44 anos, acumulo tudo isso (menos operário no Japão) e continuo firme com Tex, que é verdadeiramente a grande paixão da minha vida.

O que o levou a escrever um livro dedicado a Tex Willer?
GG no Velho Oeste
Três motivos principais. Primeiro, fazer uma homenagem ao meu grande amigo, irmão Tex. Segundo, porque entendi que havia muitas informações nas revistas Tex que precisavam ser estudadas, agrupadas e traduzidas para formar novas informações, novos dados, concretos, que viessem ajudar os coleccionadores a entender melhor a mítica personagem criada por G. L. Bonelli e Aurelio Galleppini. Terceiro, para marcar de forma indelével a minha passagem pelo mundo texiano. Escrever e publicar livros sempre foi uma necessidade para mim e agora estou conseguindo realizar esse sonho, justamente com Tex. Deixei o Japão contra a vontade da minha esposa porque lá eu não conseguiria jamais me sentir à vontade, escrever, ser eu mesmo. Sou muito comunicativo, gosto de lidar com pessoas, gosto de um debate sadio, respeitoso. E fui me cercando de amigos, formando laços de amizade, vendo as necessidades e possibilidades surgirem… é um caminho natural, sem volta, deu nisso: um livro para Tex, mas,  um livro para os texianos.

Convite

Que expectativas tem para este seu livro, perante o sucesso e fama que Tex tem no Brasil?
Boas e grandes expectativas. Tex tem um público fiel e sei que muitos vão adquirir o livro, mesmo diante de alguma adversidade. Tive o cuidado de construir um livro para os leitores, onde mesmo quem não é citado, sinta-se ali dentro, comungando com as palavras e situações. Quem escreveu foi um leitor apaixonado, mas com o pé no chão, tratando as informações com muita seriedade.

Pode elucidar os nossos leitores sobre o conteúdo do livro?

Inicio fazendo uma viagem pelo mundo de Tex tal qual conhecemos de outras publicações, pagando um tributo aos grandes artistas que contribuíram ao longo de mais de 60 anos para que a personagem se mantivesse viva nas bancas de vários países. Depois parto para uma verdadeira exaltação à personagem, falando das suas qualidades e tecendo comentários e indagações sobre os episódios que causam algum tipo de debate, buscando entender porque faz tanto sucesso, porque os coleccionadores o adoram.
Preciosidades Texianas
Viajo pelas 4 editoras que já publicaram o Tex, comentando certos episódios, demarcando factos, tecendo críticas e tentando entender certas decisões, algumas acertadas, outras equivocadas. A parte mais trabalhosa e gostosa de fazer foi garimpar toda a colecção do Tex (normal ou principal) em busca de curiosidades, catalogando todas. De repente, o texiano vai se dar conta que Cochise tem um neto, que apareceu uma vez e depois desapareceu, para nunca mais voltar. Estudei cada aventura, os temas abordados e realizei pesquisas que não estão nas revistas. E trago uma entrevista com Sergio Bonelli, conseguida em Abril/2009, com respostas quentes sobre alguns casos que sempre suscitam discussões entre os coleccionadores e que ele responde e encerra diversos casos de forma definitiva. Tem muito mais, são 300 páginas com textos, imagens, depoimentos, muitas coisas que a maioria nem lembra mais. De um tiro só será possível saber exactamente onde começa e onde termina uma aventura, qual o enredo, qual pard do Tex participou e quem desenhou – é uma obra de referência.

Preparado para o duelo

Foi fácil conseguir uma editora, neste caso, a Editora Sal da Terra, que publicasse este seu novo livro dedicado a Tex?
Como é público e notório, eu tinha uma promessa de publicação pela editora que lança o Tex no Brasil, a Mythos, mas não deu certo. Aí cheguei a perder as esperanças, pois vários contactos com editoras de São Paulo e do Sul do Brasil não deram resultados. Os amigos texianos, principalmente do Rio Grande do Sul, continuaram incentivando e eu parti para uma empreitada solitária. Fui atrás de uma editora, depois de outra. Com o orçamento nas mãos, fiz algumas contas e corri atrás de dinheiro. A Sal da Terra, que eu já conhecia, apresentou-me alguns livros, bem acabados e um orçamento que imaginei conseguir vencer. Em suma, estou suportando tudo, com todos os méritos e riscos que advém de qualquer empreitada que envolva capital e sentimentos. Publicar livros no Brasil é muito complicado. O único alento que tenho é saber que existe um público-alvo bem delineado. Espero estar certo. Mas uma coisa eu digo aqui, foi um prazer muito grande passar horas e horas a revisar tudo diversas vezes nestes dias, actualizar sempre que surgia uma chance de publicação, assim como está sendo prazeroso responder esta entrevista – tomara que seja a primeira de muitas.

G. G. Carsan e a pistolaQue parecer recebeu de Sergio Bonelli, quando lhe apresentou a ideia de publicar este seu livro?
O Grande Sergio Bonelli foi muito atencioso comigo e deu o seu aval sem ressalvas, desejando muito sucesso, sorte e alegrias. Depois, respondeu a uma entrevista e disse que só não viria ao Brasil devido à sua idade avançada.

 

Como decorreu todo o processo de negociação com Sergio Bonelli para a devida autorização para a publicação de um livro dedicado à personagem mais importante da editora italiana?
Este é um livro de exaltação à personagem, realizado sem a intenção pura e simples de ganhar dinheiro. É um livro de fã, de coleccionador, que dá o seu depoimento sobre uma personalidade de ficção. A editora realiza alguns procedimentos legais e pronto. Sergio Bonelli deu o aval – estou tranquilo.

Programação

O livro dedicado ao Ranger, será lançado durante a 4ª Expo-Tex de Jampa. Pode elucidar-nos sobre esse grande evento dedicado ao Tex, que já vai no 4º ano e foi inclusive alvo de um editorial de Sergio Bonelli numa edição italiana de Tex?
A exposição é um evento de porte porque divulga a personagem Tex tanto a nível local, quanto nacional e até mundial. Por isso, vem sendo realizada por outros texianos pelo Brasil afora, com sucesso. E para lançar o livro, decidi realizar a 4ª. Expo-Tex, para agregar valor ao evento em si e provar que o movimento é realmente de divulgação, de congraçamento, de incentivo à leitura, de homenagem a todos os envolvidos no processo que gera o Tex. Assim, teremos o cocktail de lançamento do livro, com diversas autoridades da área política, jornalística, artística, cultural e muitos amigos, além de todos os texianos do Brasil, convidados para ouvir uma palestra com um cover de Tex, assistir ao filme, ver alguns slides sobre a personagem e seus números fantásticos.
Rumo à Expo-Tex

A exposição prosseguirá com a visita de alunos adolescentes de escolas de nível fundamental e no último dia, quando muitos texianos prometem comparecer para o Grande Conselho dos Chefes, sortearei para os coleccionadores inscritos, uma prancha original de Tex na Patagónia e um original colorido de uma capa de Tex Tutto a Colori, que me foram enviados por Sergio Bonelli. É uma forma de criar um desejo nos pards e de agraciar os mais sortudos. Teremos ainda as fotos com os pósteres, os marcadores de páginas, algumas imagens ampliadas, um grande painel que estou preparando, mas acima de tudo, o grande, incomensurável e indescritível prazer que é reunir vários texianos e voltar a ser criança.

Tex e G. G. Carsan

Falando agora em especial para os leitores portugueses, a sua obra faz alguma alusão a Tex relacionada com Portugal?
Portugal e alguns dos seus coleccionadores texianos aparecem nas páginas do livro, sem um enfoque mais enfático, haja vista que priorizamos o que preconiza o título. Mas quando foi necessário, a Boa Terra foi citada. Acrescento que foi interessante encontrar algumas cartas de leitores portugueses nas revistas e quem quiser saber quantas foram, saberá ao ler o livro.

Como os leitores e fãs portugueses de Tex podem encomendar este seu livro dedicado ao Ranger?
Ainda não tenho nada certo, mas a partir da próxima semana estarei definindo isso, conversando com alguns pards lusitanos e procurando a melhor saída, visando, logicamente, baratear e ter eficiência na remessa dos exemplares.

G. G. Carsan e os 60 anos de Tex

Gostaria de acrescentar mais alguma coisa? Algo que não lhe foi perguntado e que gostaria que os nossos leitores soubessem?
Sim! Quero dizer que a tiragem do livro será de 1.000 exemplares, numerada, de 1 a 1.000. Portanto, aqueles que gostam de chegar nas primeiras posições, no pelotão de frente, ainda dá tempo. Desde que decidi lançar, que muitos amigos vem externando a intenção de adquirir o livro e fui formando um lista, de forma que cada leitor vai levar o número de acordo com essa ordem.
Outra coisa: O universo texiano é muito vasto e tratei basicamente da colecção Tex, até o número 474, procurando ser bastante substancial. Se fosse tratar de todas as colecções, não conseguiria um aprofundamento teórico, teria que ser superficial. Outrossim, todas as colecções foram citadas, capas mostradas, números tratados.

Caro G. G. Carsan, em nome do blogue português de Tex nós agradecemos muitíssimo pela entrevista que tão gentilmente nos concedeu.
Mais uma vez agradeço aos pards José Carlos Francisco e Mário João Marques pela oportunidade de figurar num veículo de comunicação tão importante, tão visitado, inclusive pelas personagens reais que realizam esta nossa personagem fictícia na Itália, e para aqueles que procuram mais informações sobre o livro e sobre a exposição, deixo um link para um espaço especial criado exclusivamente para a divulgação desse grande evento texiano: http://www.expo-livrotex.gerafoto.com/livro-exposicao/
Obrigado a todos os pards portugueses e hasta la vista!
>> TEX WILLER BLOG- por José Carlos Francisco

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: