PANORAMA DO QUADRINHO ALEMÃO: OBRAS AJUDAM A CRIAR CENÁRIO ATUAL

“Panorama dos Quadrinhos Contemporâneos na Alemanha” traduz histórias de 18 autores do país europeu

QUADRINHOS ALEMAES

Vivem-se dias propícios para conhecer um pouco mais sobre os quadrinhos alemães. Editoras diferentes publicaram no intervalo de um mês duas obras com trabalhos de autores do país europeu. Nos dois casos, são produções contemporâneas inéditas, que ajudam a preencher, ao menos parcialmente, o vácuo de publicações europeias aqui no Brasil.

Panorama dos Quadrinhos Contemporâneos na Alemanha” (Emcomum, 200 págs., R$ 15) reúne histórias de 18 quadrinistas da Alemanha. A outra obra é “Johnny Cash – Uma Biografia” (8 Inverso, 224 págs., R$ 44). O álbum narra a vida e a obra do cantor norte-americano e foi feito pelo alemão Reinhard Kleist.

A história da concepção de “Panorama dos Quadrinhos Contemporâneos na Alemanha” é tão curiosa quanto a obra em si. O projeto surgiu em uma disciplina sobre charges, cartuns e quadrinhos alemães ministrada no curso de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais no primeiro semestre.

Coube aos 17 estudantes da matéria a tarefa de verter para o português as histórias em quadrinhos. Foi o cerne para gestar o livro. A orientação e coordenação das traduções coube ao professor responsável, o alemão Georg Wink, que também assina a organização do álbum.

Wink explica no texto de introdução da obra que vê nos quadrinhos um forte aliado no processo de aprendizado de línguas estrangeiras. Diz que as histórias de Henfil e as revistas da extinta Circo Editorial – que publicava “Chiclete com Banana”, “Geraldão”, “Piratas do Tietê –  o ajudaram muito a compreender melhor o português.

“O efeito didático do aprendizado através dos quadrinhos é evidente e não é nenhuma novidade: a imagem permite a imediata criação de uma hipótese sobre o texto”, escreve, na introdução. “Aprende-se por enunciações contextualizadas, não por regras gramaticais ou listas de palavras”, completa.

O resultado dos trabalhos com os alunos, lançado em livro nesta semana, procura dar ao leitor brasileiro um cenário da ainda desconhecida produção contemporânea de quadrinhos da Alemanha. Por isso, pelo desconhecimento, o nomes dos 18 autores ainda dizem pouco ao leitor daqui. Mas a proposta é que a obra sirva, ao menos, de ponto de partida.

Esse cuidado de fazer as honras da apresentação entre quadrinistas e leitor permeia todo a obra. Cada bloco de histórias é antecedido por uma curta biografia do desenhista a ser visto nas  páginas seguintes.

Em comum, as narrativas têm o humor como fio condutor. Reflexo de Wink, que demonstra uma declarada predileção por tais produções.
>> BLOG DOS QUADRINHOS – por Paulo Ramos

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: