“OS PASSARINHOS”: COM HUMOR DELICADO, A TIRINHA DE ESTEVÃO RIBEIRO VIRA FEBRE

anuncio_mad

Uma ave que sonha se tornar escritor é uma das novas sensações da internet. Com seus desenhos meigos, as tiras de Os passarinhos, do quadrinista capixaba Estevão Ribeiro, multiplicaram acessos desde seu lançamento, em agosto do ano passado. Em pouco tempo, já virou livro, apareceu na revista Mad e começou a ser agenciada pela Intercontinental Press, que representa no Brasil sucessos mundias da HQ como Garfield, Peanuts, O Homem-Aranha e Dilbert, entre outros. Refletindo sobre o mundo literário e “homenageando” autores, ganhou repercussão entre estrelas, como Paulo Coelho e Neil Gaiman, que, com bom humor, aprovaram a sua paródia nas tiras. Escritor, ilustrador e roteirista, Ribeiro aproveita a onda dos quadrinhos na rede, que já consagraram artistas como André Dahmer e Arnaldo Branco. Mas, ao contrário de Malvados e Mundinho Animal, seus passarinhos fogem da crueza e violência.

– Acho que o sucesso vem muito do fato de ser um humor acessível para todos, o tipo de tirinha que não tem maldade nenhuma, que seu pai não vai chamar de mau gosto – avalia Ribeiro, que integrou a equipe de Artes do Jornal do Brasil e autor do livro de ilustrações Enquanto ele estava morto. – Não sou o tipo de cara que faz piada suja e usa palavrão. Acho maravilhoso o que faz o Dahmer, por exemplo, mas não conseguiria escrever aquelas coisas, ficaria com vergonha. Tanto que muita gente que olha Passarinhos e diz que é “um Malvados bonitinho”.

A ideia dos Passarinhos veio por acaso, em meio a uma reunião. Enquanto se discutia a produção de um roteiro para uma empresa, Ribeiro fez uns esboços no caderno. Acabou surgindo alguns pássaros, desenhados com traços simples, vagamente parecido com o mascote do Twitter.

Piadas autobiográficas
A partir daí, foram surgindo os personagens principais, animais que vivem em um parque: Hector, aspirante a escritor, que deseja ser mais do que um simples pássaro, e Afonso, seu amigo, que serve como uma espécie de contraponto: é um materialista cruel e sarcástico, conformado com sua condição. Hector, com suas desilusões literárias, tem um quê de autobiográfico.

– A maçã nunca cai longe da macieira – compara Ribeiro, que já tem trabalhos como roteirista da Turma da Mônica, de Mauricio de Sousa. – Tem um pouco de mim no personagem e das coisas que vivo no dia a dia. Quando quero uma solução mais cômica, apelo pelo lado “passarinhesco”, quando quero ser mais reflexivo, vou por um lado mais humano. Com o retorno que você tem na internet, percebe que você passa para os leitores coisas pelas quais eles também passam. Quem quer viver de escrever sabe os problemas que isso causa.

O universo literário sempre está rondando as tiras de Ribeiro. Na série, ele criou um versão passarinhesca de Neil Gaiman, cuja fama serve de contraste à obscuridade do aspirante Hector. O personagem, que representaria o inacessível, agradou ao próprio Gaiman. Ao se deparar com a versão em inglês das tirinhas (disponíveis no endereço http://hectorandalfonse.wordpress.com), o autor inglês gostou tanto da brincadeira que a postou em seu site pessoal.

Estveão também inventou um personagem chamado Paulo Coelho – um coelho que é uma alusão óbvia ao escritor brasileiro mais vendido e criticado do planeta. O ódio do passarinho Hector pelo sucesso do romancista rendeu até uma série chamada “Coisas que Hector odeia em Paulo Coelho”.

Sempre imprevisível, o Mago não apenas aprovou a brincadeira como ainda postou um comentário no site dos Passarinhos (“Vamos ver se visitam sua página. Muito boa, por sinal”) e colocou links das tirinhas em seu blog para ilustrar um assunto recorrente: “Por que algumas pessoas odeiam Paulo Coelho?”

– O Paulo percebeu que era uma brincadeira e levou na esportiva – conta Ribeiro. – A questão toda é que ele faz sucesso e o Hector, que é um desconhecido, odeia isso. O Paulo é um exemplo de autor que deu certo independentemente do que escreve. Não adianta ser bom e não vender nada. Recebi quase 1.500 acessos no mesmo instante em que ele fez menção à tira em seu blog.
>> JORNAL DO BRASIL – por Bolívar Torres

Assista ao book trailer de “Os Passarinhos – Hector & Afonso”, do autor Estevão Ribeiro. Um lançamento da Balão Editorial:

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: