“CORAÇÃO DE PEDRA”: GÁRGULAS, ESTIGMAS E CUSPIDOS

Uma Londres ao avesso, em um mundo paralelo onde todas as estátuas, cuspidos e estigmas estão vivos e em guerra, uma fuga alucinante e uma difícil missão que deverá ser cumprida custe o que custar é o que você encontrará no primeiro livro da trilogia Coração de Pedra (Geração Editorial), do inglês Charlie Fletcher.

George Chapman é um menino de 12 anos que passa por uma difícil fase na escola, infeliz e solitário não tem muitos amigos, tem uma mãe pouco presente e ninguém para conversar. A vida de George muda radicalmente quando em uma excursão ao Museu de História Natural de Londres, em um acesso de raiva ele ataca e quebra a cabeça de um dragão de pedra.

Após este acidente ele provoca a ira dos estigmas (estátuas de gárgulas e bestas mitológicas) em um mundo paralelo que só ele pode ver, perseguido por um pterodáctilo pelos corredores do museu, George recebe a ajuda inesperada de um cuspido (estátua de seres humanos) iniciando uma guerra entre as estátuas.

George com a ajuda do cuspido O artilheiro do Memorial de Guerra, começa uma corrida contra o tempo, tentando descobrir o que precisa fazer para consertar o que foi quebrado. Durante a busca ele conhece Edie, uma garota que consegue ver tudo o que acontece neste universo paralelo. Edie é forte, destemida e tem uma estranha capacidade que irá ajudar George em sua busca. Agora ele precisa correr contra o tempo, reparar o que foi danificado e enfrentar seres malignos que tentam impedir o seu sucesso.

O livro é muito bem ambientado, no final o autor explica que as estátuas citadas realmente podem ser visitadas nos mesmos lugares em Londres o que achei muito interessante. Os personagens são cativantes e bem interessantes, com alguns mistérios que só iremos descobrir durante a leitura. Vemos também claramente a evolução destes personagens e a mudança de atitude dos protagonistas.

Gostei muito do enredo, mas esperava mais do livro, não sei se pela capa ou se pela sinopse, pelos comentários atribuídos a trilogia como sendo “a sucessora de Harry Potter” (não passa nem perto disso) mas o livro me decepcionou um pouco. No começo faltou ação, faltou a aventura eletrizante que foi prometida e ficou um pouco cansativo, mas o livro melhora do meio para o final e se o segundo da trilogia mantiver o ritmo a série melhorará muito; até porque o primeiro livro sempre tem mesmo uma característica introdutória, então dou um desconto para o autor.

Sem dúvida tem tudo para ser mais um ótima série de literatura fantástica para o público juvenil, agora é aguardar para ler a continuação mas evite comparações, em minha opinião J.K. Rowling não se supera assim com tanta facilidade, quem chegou mais perto disso foi Rick Riordan em O ladrão de raios.

“Seu remédio jaz no Coração de Pedra, e a Pedra do Coração vai ser seu alívio. Para pôr um fim ao que começou, você deve primeiro encontrar o Coração de Pedra e depois fazer o sacrificio e as reparações para consertar o que foi quebrado ao colocar na Pedra do Coração de Londres aquilo que é necessário para o seu reparo”.

Pesquisando descobri também que a série foi lançada por duas editoras, não sei se é a mesma tradução nem o porque do ocorrido mas segue abaixo os títulos pelas duas editoras.

Trilogia Stoneheart pela Geração Editorial
  • Coração de Pedra
  • Iron Hand – Mão de Ferro (Os demais ainda não lançados no Brasil)
  • Silver Tongue – Língua de Prata.
Trilogia Stone Heart pela Editora Presença
  • O enigma da esfinge (2007)
  • O espelho negro (2009)
  • Silver Tongue (Ainda não lançado no Brasil).

>> VIAGEM LITERARIA – por Nanda

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: