NEIL GAIMAN E TODD MAcFARLANE: BRIGA JURÍDICA CONTINUA

Discussão sobre personagens de “Spawn”
chega a audiência em tribunal de Winconsin

No mês passado, Neil Gaiman abriu um novo processo judicial contra Todd McFarlane. O escritor britânico reclama os direitos sobre novos personagens que McFarlane criou supostamente para substituir Spawn Medieval Angela – que Gaiman criou e sobre os quais ganhou os direitos em outra briga nos tribunais, entre 2002 e 2004.

Os novos personagens seriam Tiffany e Domina – “anjas letais” como Angela -, bem como a versão Dark Ages de Spawn. Esta semana, segundo reportagem da Associated Press, imagens destes heróis e vilões em disputa foram exibidos no tribunal em Madison, Wisconsin, onde Gaiman entrou com a ação. McFarlane estava lá, acompanhado do roteirista Brian Holguin.

Após apresentar imagens dos novos personagens e os que criou, Gaiman falou de “semelhanças inconfundíveis” entre eles. McFarlane e Holguin se defenderam dizendo que não tinham intenção de copiar a criação de Gaiman. “Estávamos só tentando vender gibi. Poderíamos ter feito o Spawn da Renascença Italiana, mas acho que não teria vendido tanto”, disse Holguin.

Além disso, foi mencionada a mitologia dos quadrinhos de Spawn, que define que só há um personagem do tipo na Terra a cada 400 anos. Dessa forma, não haveria como “Spawn Medieval” e “Spawn Dark Ages” serem personagens diferentes.

O caso ainda aguarda decisão do juiz. Enquanto não chega, Neil Gaiman publicou em seu blog a sua explicação sobre todo o processo. Ele diz que McFarlane ainda lhe deve dinheiro da briga judicial que tiveram entre 2002 e 2004 – McFarlane não pagou porque sua empresa entrou em falência devido ao processo movido pelo jogador de hóquei Tony Twist.

Gaiman diz que a McFarlane Productions já está voltando à saúde financeira e que eles têm um contador apurando quanto a empresa deve ao escritor.

Por fim, o britânico considera absurdas as manchetes que vêm saindo sobre o caso – como a doDaily Telegraph, que fala em “rivais dos quadrinhos”, roubo de super-heróis e personagens que“valem milhões”. Gaiman diz que está apenas complementando o caso que começou no início da década. “Não é uma ‘batalha épica’. A batalha épica ocorreu e chegou ao fim em 2002”, escreve no blog.

Ainda não se sabe a data para a decisão do juiz.
>> OMELETE – por Érico Assis

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: