“CONTOS OBSCUROS DE EDGAR ALLAN POE”: LIVRO ORGANIZADO POR BRAULIO TAVARES TERÁ LANÇAMENTO NO FANTASTICON 2010

sábado | 31 | julho | 2010

O escritor Bráulio Tavares organizou “Contos Obscuros de Edgar Allan Poe”, uma antologia de contos pouco conhecidos de Poe.Com narrativas científicas, misteriosas, permeadas de terror, horror, suspense e policialescas.

Edgar Allan Poe (1809-1849) foi adotado, encampado ou dissecado pelo surrealismo, pela psicanálise, pelo estruturalismo, pela semiótica e outros movimentos. Inventou o conto analítico detetivesco e foi um dos precursores da ficção científica, sem esquecer que figura também como um dos mais importantes nomes da literatura de terror. Inspirou notáveis compositores, de Debussy a Beatles e Bob Dylan, e foi admirado por escritores como Fernando Pessoa, Machado de Assis, Julio Córtazar. Mas Poe é, sobretudo, o grande mestre do conto. Um lugar inconteste na história da literatura mundial.

Ao longo de quase dois séculos, seus contos foram consagrados e largamente traduzidos e editados. Porém, há ainda alguns pouco conhecidos, exatamente por não figurarem nas correntes antologias do escritor. E é para trazê-los a público que a editora Casa da Palavra lança Contos obscuros de Edgar Allan Poe, organizado pelo escritor Braulio Tavares, especialista em ficção científica e literatura fantástica, autor de celebradas antologias do gênero.

Ao optar pelos contos menos conhecidos do escritor norte-americano, cujo bicentenário foi celebrado em 2009, Braulio buscou se distanciar dos textos célebres e comumente encontrados em edições em todo o mundo. “A maioria das coletâneas de contos de Poe concentra-se em dez ou 15 textos que fizeram sua fama como autor. Esta antologia pretende deixar de lado esses contos mais famosos e oferecer ao leitor outras histórias que também têm qualidades notáveis, mas que foram pouco traduzidas no Brasil”, explica Braulio.

Os 16 contos selecionados oferecem um painel ampliado da expressão literária de Poe, apresentando os contos “Metzengerstein”, “Manuscrito encontrado em uma garrafa”, “Morella”, “O rei Peste”, “Sombra – Uma parábola”, “Silêncio – Uma fábula”, “Como escrever um artigo à moda Blackwood”, “Uma trapalhada”, “Descida no Maelström”, “Três domingos numa semana”, “A balela do balão”, “Um conto das montanhas Fragosas”, “O Anjo do Bizarro”, “Tu és o homem”, “A milésima segunda história de Sherazade” e “A esfinge”.

Em um alentado posfácio, Braulio oferece uma apresentação sobre a vida e a obra do escritor, fazendo ainda uma análise minuciosa dos 16 contos escolhidos. Ao fim dessa jornada é possível entender por que Edgar Allan Poe continua sendo, 160 anos após sua morte, um dos mais contemporâneos escritores da literatura ocidental.

Ilustrado pelo artista plástico paraibano Romero Cavalcanti, Contos obscuros de Edgar Allan Poe, acaba por atender a busca permanente do próprio Poe: a diversidade. É ele quem diz: “Se todos os meus contos estivessem agora à minha frente e eu tivesse a incumbência de compor uma nova seleção, o critério que primeiro ocuparia minha atenção seria o de diversidade e variedade”.

O autor
Braulio Tavares nasceu em 1950, na cidade de Campina Grande, Paraíba. Escritor e compositor, ganhou a premiação portuguesa Caminho da Ficção Científica pelo livro de contos A espinha dorsal da memória (1989). É autor dos livros A máquina voadora (1994), Mundo fantasmo (2002) e ABC de Ariano Suassuna (2007). Publicou as antologias Páginas de sombra: contos fantásticos brasileiros (2003), Contos fantásticos no labirinto de Borges (2005) e Freud e O Estranho – contos fantásticos do inconsciente (2007), todos pela Casa da Palavra e com ilustrações de Romero Cavalcanti.

Lançamento no dia 28 de agosto, Sábado, às 18 horas
FANTASTICON 2010 – IV Simpósio de Literatura Fantástica
Biblioteca Viriato Corrêa
Rua Sena Madureira, 298 – Vila Mariana – São Paulo, SP
Tel.: 11 5573-4017 e 11 5574-0389


CONN IGGULDEN NO BRASIL PARA PALESTRA DE LITERATURA FANTÁSTICA NA 21ª BIENAL DO LIVRO

quinta-feira | 29 | julho | 2010

Ossos das Colinas, Os: O Conquistador - vol. 03

Conn Iggulden, autor da badalada coleção “O Imperador” e co-autor (com seu irmão Hal Iggulden), do best-seller “O Livro Perigoso Para Garotos”, todos publicados, no Brasil, pela Record, estará na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

No dia 13/08 ele estará presente em palestra sobre Literatura Fantástica, às 17h

No dia 16/08 em palestra sobre o livro “O Livro Perigoso Para Garotos”, às 16h, durante esses dois dias ele se encontrará com os fãs dos seus livros para autografá-los.

Conn Iggulden tornou-se mundialmente conhecido com a série “O Imperador”, na qual recria a vida do grande líder Júlio César, com mais de 55 mil exemplares vendidos no Brasil. A série é composta pelos livros “Os Portões de Roma”, A Morte dos Reis” “e “Campo de Espadas”.

O autor´vem ao Brasil para a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo para lançar “Os Ossos da Colina”, terceiro volume da série “O Conquistador”, que reconstrói a saga do imperador mongol Gêngis Khan e de seus descendentes, e tem alcançado o mesmo sucesso da série anterior. Os dois outros livros da série são: “O Lobo das Planícies” e “Os Senhores do Arco”.

Conheça mais sobre os livros de Conn Iggulden publicados pela Editora Record

21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo | 12-22 Agosto 2010 - Anhembi - São Paulo, SP - das 10 as 22hs


21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo:
Av. Olavo Fontoura, 1209 (Santana)
* Transporte gratuito sai do Tietê todos os dias do evento, funcionando das 9h00 até as 23h00, na saída da Estação-Shopping

Horário: das 10h00 às 22h00

Ingressos: Público geral R$ 10,00 / Estudante R$ 5,00 (mediante comprovação) / Idosos 60 a 64 anos R$ 5,00 (mediante comprovação)

Mais informações: http://www.bienaldolivrosp.com.br/


“BATTLESTAR GALACTICA”: SÉRIE RETORNA NA INTERNET

quinta-feira | 29 | julho | 2010

A série Battlestar Galactica, que teve sua última temporada exibida em 2009, voltará com uma série na web com o subtítulo Blood & Chrome.

O jornal Chicago Tribune revelou que essa série será focada no personagem  William Adama durante a primeira Guerra Cylon.

Michael Taylor, produtor executivo de Galactica e da série derivada Caprica, escreverá o roteiro de Blood & Chrome, que ele descreveu como: “a iniciação de um garoto na guerra, percebendo como essa é lutada na realidade e como é representada na mídia“.

Serão 10 episódios de 10 minutos cada, com conteúdo explícito em termos de cenas de batalha, sexo e ideologias. “Estou pensando tanto nas guerras do Afeganistão e Iraque quanto no passado de Battlestar Galactica“, disse Taylor.

O sucesso dessa empreitada pode significar o começo de vários projetos similares ou mesmo a possibilidade de uma nova série da franquia na TV.

Lançada originalmente em 1978, a série Battlestar Galactica (cuja versão original foi rebatizada no Brasil como Galactica: Astronave de Combate) conta a história dos últimos sobreviventes das doze colônias, liderados pela nave militar Galactica. As colônias foram dizimadas pelos Cylons, uma raça de androides criados pelos humanos das colônias, mas que se tornaram sapientes, revoltando-se contra seus criadores. Todos buscam a lendária décima terceira colônia, a Terra.

Um remake da série teve início em 2003 e terminou em 2009. Tanto a série original quanto a atual têm HQs publicadas pela Dynamite Entertainment. A nova versão da série tem um prelúdio no ar, chamado Caprica.
>> HQ MANIACS – por Leandro Damasceno


“MUMIN”: HIPOPÓTAMO, TROLL OU QUALQUER COISA FOFA

quinta-feira | 29 | julho | 2010

Parece um hipopótamo, mas, na verdade, é um troll. Criado pela finlandesa Tove Jansson (1914-2001) nos anos 40, o personagem Mumin é um sucesso na Escandinávia, no resto da Europa e no Japão. Pouco conhecida no Brasil, a simpática, fofa e inocente criatura de olhos redondos, sem boca, traço simples e cor branca acaba de ganhar um álbum de capa dura chamado simplesmente de “Mumin” (Conrad, PB, 96 pgs., R$ 37.90).

O livro, o primeiro de cinco volumes, traz quatro histórias em quadrinhos no formato de tiras, em que o troll, hipopótamo, ou seja lá o que ele seja, vive aventuras pueris ao lado de amigos como Faro-Fino, Snufkin, Senhorita Snork e outros. A série demorou bastante para chegar por aqui e seu sucesso talvez esteja no fato de que suas histórias sirvam para qualquer idade.
>> GIBIZADA – por Télio Navega


REDE CBS LAMENTA A AUSÊNCIA DE PERSONAGENS GAYS EM SUAS SÉRIES

quinta-feira | 29 | julho | 2010

Um estudo, realizado pela Gay & Lesbian Alliance Against Defamation – GLAAD, apontou que a rede CBS é o canal americano com o menor número de personagens gays em suas séries. Para piorar, a GLAAD aponta a CBS como o canal com o maior número de séries policiais em que personagens gays ou bissexuais e travestis costumam ser vítimas de criminosos patológicos.

A pesquisa apontou a rede MTV como canal que permitiu o maior número de personagens gays em sua programação entre 1º de junho de 2009 e 31 de maio de 2010. Pela TV aberta, o CW ficou em primeiro lugar. Ao todo foram pesquisados 15 canais.

Este é o quarto ano consecutivo que a organização realiza essa pesquisa, que analisou cerca de 4.785.5 horas de programação do horário nobre da TV aberta e cerca de 1,227.75 do horário nobre da TV a cabo. Fazem parte da pesquisa a produção de séries, reality shows e programas diversos. No mês de setembro, a GLAAD divulgará um relatório anual avaliando a inclusão de gays, bissexuais e travestis, restrito à programação de séries.

A pesquisa tem o objetivo de vigiar as emissoras em relação a forma como os gays são representados na TV. Nos anos 60, o mesmo foi feito pela National Association for the Advancement of Colored People – NAACP, organização que atendia os direitos dos afro-americanos em relação à representação de sua cultura na programação televisiva. Foi graças a essa vigilância que atores negros conseguiram conquistar maior espaço nas séries, chegando aos dias de hoje como parte natural na escalação de elenco.

A grande diferença entre os dois segmentos é o fato de que os produtores não estão restritos a contratar atores gays para interpretá-los na TV; esses personagens podem ser vividos por heterossexuais, como já ocorreu em “Will & Grace”, sitcom que colaborou com a presença de gays nas séries de TV.

Segundo a pesquisa divulgada pelo GLAAD a MTV apresentou 207.5 horas de programas originais, dos quais 42% incluíam referências a personagens ou às vidas de gays, bissexuais e travestis. Os canais recebem da instituição uma espécie de ’selo de qualidade’, que varia entre excelente, ótimo, bom, adequado e ‘perdedor’. A MTV foi o primeiro canal, nesses quatro anos, a ganhar o ’selo de excelência’.

Entre os canais a cabo a ABC Family ficou em segundo lugar, com 37%; a TNT em terceiro, com 34%; o Showtime em quarto, com 32%; o Lifetime em quinto, com 31% e a HBO em sexto com 26%. Todos receberam o selo com a classificação de ‘bom’. Entre os canais adequados estão FX, com 27%;  Entre os canais a cabo que foram considerados perdedores estão o USA Network,  com 4%, o A&E, com 3% e o canal TBS, com 2%. Estão ausentes da pesquisa os canais AMC e Starz.

Entre os canais abertos, o CW ficou em primeiro lugar com 35%; a Fox em segundo, com 30%; seguido pela ABC, com 26% e pela NBC, com 13%.  Todos receberam o selo de ‘bom’, com exceção da NBC, que ficou com a marca de ‘adequado’. Já a CBS, que registrou cerca de 7% da presença gay em sua programação, recebeu o ’selo’ de ‘perdedora’.

Este é o segundo ano consecutivo que a CBS é classificada como perdedora pela organização. Em resposta, Nina Tessler, presidente da CBS, declarou aos jornalistas que a emissora não está feliz consigo mesma. A declaração foi feita aos jornalistas que hoje compareceram à coletiva de imprensa organizada pelo Television Critic Association – TCA, para apresentar a nova programação dos canais americanos.

Em razão desse resultado, Tessler declarou que os produtores de algumas séries receberam a incumbência de incluírem personagens gays em suas produções. Por esse motivo, o público conhecerá em breve o irmão gay de Alicia, na segunda temporada da série “The Good Wife“. Além disso, os roteiristas deverão revelar, aos poucos, algumas questões que cercam a sexualidade da personagem Kalinda interpretada por Archie Panjabi.

Em “Rules of Engagement“, Jeff e Audrey conhecerão sua mãe biológica, uma lésbica que fará parte da equipe de softball de Jeff. A série ainda inédita, “$#*! My Dad Says“, estrelada por William Shatner e com base em uma conta de Twitter, terá um gay no elenco de personagens semiregulares. Ele será interpretado por Tim Bagley, que já interpretou um gay em “Will & Grace”.

Ao longo das novas temporadas, outras séries da CBS deverão fazer surgir personagens gays em seu elenco fixo, semiregular ou convidado.

A GLAAD é uma instituição não governamental que surgiu em 1985, durante a epidemia da AIDS. Ela foi formada para dar força aos protestos da comunidade gay contra a forma como o jornal The New York Post publicava matérias sobre a AIDS. Acusada de sensacionalista e homofóbica, a empresa jornalística sofreu uma forte pressão para mudar sua postura.

Ao longo dos anos, a instituição cresceu, conseguindo transformar a mentalidade da mídia acerca da comunidade gay americana. Atualmente, a GLAAD é uma das mais poderosas instituições não governamentais americanas, sendo capaz de forçar mudanças de comportamentos e decisões criativas de emissoras como a rede CBS.
>> VEJA – por Fernanda Furquim


“CIRA E O VELHO”: LIVRO DE FANTASIA TRABALHA COM FOLCLORE BRASILEIRO

terça-feira | 20 | julho | 2010

As lendas e personagens históricos de um Brasil ainda em formação servem como fundo de cena para a narrativa “Cira e o Velho” (232 pp., R$ 29,90), que o ilustrador e publicitário Walter Tierno lança em São Paulo, no próximo dia 22 de julho, na Livraria Martins Fontes. Lobisomens, bandeirantes, reis animais e o Quilombo dos Palmares em seus últimos dias compõem o cenário da história.

Publicado pela Giz Editorial, “Cira e o Velho” é uma história de fantasia. Ou uma fantasia histórica, como prefere o autor. Inspirado por fatos históricos ocorridos no Brasil do final do século XVII e personagens do folclore nacional, o autor mistura fatos e lendas para dar vida a Cira, personagem principal do enredo.

Capa do livro Cira e o VelhoGuerreira e bruxa, amaldiçoada pela morte, parente distante das sereias e filha do cobra Norato, ela busca vingança contra o sertanista Domingos Jorge Velho. Contratado pela irmã de Norato, ele matou a mãe de Cira, a feiticeira Guaracy, e a deixou para morrer, com a garganta cortada.

Valendo-se do seu último suspiro, Guaracy evoca um último encanto para salvar a vida da filha, ainda que isso lhe custe a liberdade. Anos mais tarde, Cira ressurge forte, poderosa e amaldiçoada pela própria Morte, que promete nunca vir para levá-la. Em suas andanças, Cira é acompanhada pela menina Nhá e enfrenta a princesa devoradora de mulheres, o guardião dos pés virados, m’boitatás e lobisomens.

A busca de Cira a leva até Palmares, onde aguarda a chegada do Velho, para o acerto final de contas. Lá, ela lutará ao lado dos palmaristas e verá o grande quilombo ser derrotado pelas forças do Velho. Em um misto de realidade e fantasia, a narrativa tem agilidade e construção consistente, cativando o leitor do começo ao fim.

O livro será lançado em noite de autógrafos na Livraria Martins Fontes Paulista, do dia 22 de julho de 2010, das 18h30min às 21h30min. O livro estará à venda no site da editora, na livraria Martins Fontes, na Bienal do Livro de São Paulo e no Fantasticon. Outros locais serão confirmados em breve.

Uma história de fantasia ou uma fantasia histórica, inspirada no Brasil do final do século XVII. Fatos e lendas se misturam e dão vida a Cira, guerreira e bruxa, amaldiçoada pela morte, parente distante das sereias e filha do cobra Norato. Ela busca vingança contra o sertanista Domingos Jorge Velho, que matou sua mãe e a deixou para morrer. Em seu caminho, reis animais, caraíbas, a princesa devoradora de mulheres, o guardião dos pés virados, mboitatás e a irmã de seu pai, Maria Caninana. Cira e Domingos se encontrarão em Palmares, onde lutarão na guerra que derrubará o grande quilombo.

Clique aqui para fazer o download de trechos do livro “CIRA E O VELHO”.

AGENDA
Lançamento do livro “Cira e o Velho”, de Walter Tierno
Dia 22 de julho de 2010
Livraria Martins Fontes Paulista –
Avenida Paulista, 509 – a partir das 18h30.
Mais informações no site do livro: www.ciraeovelho.com.br


“SPARTACUS”: MINISSÉRIE JÁ TEM ELENCO E ROTEIRO

terça-feira | 20 | julho | 2010

A produção de uma minissérie de seis episódios com base na série  “Spartacus: Blood and Sand” já tem seu elenco principal. Com o título de “Gods of the Arena”, o prelúdio irá mostrar os dias de glória da Casa de Batiatus, antes de Spartacus chegar.

A história irá contar a ascensão do gladiador Gannicus (Dustin Clare, de “Satisfaction”), que se torna o campeão da Casa de Batiatus. No elenco também estão Jaime Murray (de “Hustle” e vista em “Dexter”), interpretando Gaia, uma amiga de Lucrécia e alpinista social em Cápua; e Marisa Ramirez (Mental), como sua escrava. Entre os atores vistos na primeira temporada de “Spartacus: Blood and Sand”, que retornarão para a minissérie estão  Lucy Lawless (Lucrécia), John Hannah (Batiatus), Peter Mensah (Oenomaus) e Manu Bennett (Crixus).Andy Whitfield (Spartacus) deverá aparecer em, pelo menos, uma cena.

A produção da minissérie foi encomendada quando Andy Whitfield foi diagnosticado com câncer, em um exame de rotina. Por esse motivo, a produção da segunda temporada da série precisou ser adiada. Para não perder o interesse do público, o canal Starz encomendou um prelúdio da história apresentada na primeira temporada.

As filmagens da minissérie terão início em agosto com previsão de estreia na TV americana para janeiro de 2011.

No final dessa semana, terá início em San Diego a Comic Con, convenção que reúne elenco e produtores de séries e filmes para um bate papo com o público. O painel de “Spartacus”, que ocorre no dia 23 de julho, tem a presença confirmada dos atores Andy Whitifield, Lucy Lawless, John Hannah e Viva Bianca, bem como a do produtor e roteirista Steven S. DeKnight.
>> VEJA – por Fernanda Furquim